31 05 2017 acao

Uma manhã ensolarada e repleta de atividades no Parque da Cidade marcou a segunda edição da Ação Solidária Rompendo o Silêncio, realizada no último domingo, 28 de maio, pela Associação dos Magistrados do Distrito Federal (Amagis-DF). Mais de mil pessoas passaram pelo evento, que ocupou todo o estacionamento 12 do Parque, entre 9 e 14h. O público pôde assistir a inúmeras apresentações artísticas, palestras temáticas de conscientização, além de praticar aulas de ritmos, zumba e crosfitt ao ar livre, entre diversas outras atrações que tornaram o evento um grande sucesso.

Segundo a coordenadora de Ações para Mulheres da Amagis-DF, Juíza Rejane Suxberger, que esteve a frente da organização do evento, o projeto nasceu da necessidade de conscientizar a sociedade das diversas formas de violência às quais as mulheres continuam expostas, realizando um trabalho de prevenção com a população em geral, a fim de conscientizar a população da importância de ações preventivas. “A ação solidária Rompendo o silêncio uniu e fortaleceu esforços no âmbito das instituições judiciais e a sociedade civil. Reforçamos os protocolos de prevenção, assim como foram dados destaques às mais diversas formas de violência sofrida pela mulher. A ação atingiu seu objetivo ao estimular a comunidade e não somente as mulheres em situação de violência, a não tolerar mais e denunciar qualquer forma de violência contra a mulher”, destacou a magistrada.

Para o presidente da Amagis-DF, Juiz Fábio Esteves, o projeto foi um marco no diálogo da magistratura com a sociedade e demonstra que juízes e vários outros atores do Sistema de Justiça podem fazer muito mais do que prolatar medidas protetivas para combater a violência doméstica. “Podem, neste diálogo franco e sincero, empoderar e educar para a transformação. Essa ação passa pelos direitos que as mulheres, na condição de cidadãs, ostentam. A ação no Parque da Cidade expandiu essa oportunidade de acesso e possibilitou a troca de experiências entre instituições e pessoas que por ali passaram”, argumentou.

O grupo Dança de Carimbó (Crianças do Riacho Fundo), o trio de hip hop Batalha das Gurias e as bandas de percussão formadas exclusivamente por mulheres, Maria Vai Casoutras e Batalá de Brasília, marcaram as atratividades musicais e culturais do evento. Houve, ainda, a exposição da mostra fotográfica “Nunca me calarei”, que já esteve no MASP (SP), na Praia de Copacabana (Rio), e na Câmara Legislativa do DF - o trabalho retrata a violência sofrida pela mulher, por meio de rostos pintados de vermelho.

A programação de painéis temáticos também aqueceu a II Ação Solidária e prendeu a atenção de quem passava pelo Parque da Cidade, com breves palestras acerca da importância da reflexão de assuntos, que, segundos os palestrantes, ainda são pouco falados. Palestraram, na ocasião: a presidente da Comissão da Mulher da OAB-DF, Cristina Alves Tubino; o promotor de Justiça de Violência Doméstica, Pedro Thomé; a psicóloga da SEEDF, Tânia Naves; a professora da UNB e criminóloga, Soraia da Rosa Mendes; a gestora pública, Mariana Siqueira de Carvalho Oliveira; a consultora do Senado Federal, Cleide de Oliveira Lemos; a Juíza do Trabalho, Noemia Porto; a Juíza Federal, Célia Bernardes; e a delegada da Polícia Civil Jane Klebia.

Vários stands fixos estiveram presentes no evento, com serviços gratuitos para quem passasse pela ação, como medição da pressão e teste de glicemia (Laboratório Sabin e Turma de Enfermagem da UnB), cortes de cabelo (Helio Diff), oficina de artesanatos (Casa Abrigo); assistência da Unidade Móvel de Acolhimento às Mulheres e atendimento especializado de fisioterapia e massoterapia.

A II Ação Solidária Rompendo o Silêncio contou com o apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação de Juízes Federais (AJUFE), Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (ANAMATRA), Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal OAB-DF. Além dos apoios institucionais, houve parceria de diversas empresas engajadas com ações sociais, tais como: Laboratório Sabin, Academia Acuas Fitness, Professora de Zumba Márcia Motta, Kamon Crossfit, Foco Fisioterapia, Instituto de Beleza Hélio, Banda Maria Vai Coasoutras e Banda Batalá.

Amagis-DF - 31 de maio de 2017

+ Fotos